Viagem para a Coreia: voo, conexão e informações

Eu tô pra fazer esse post há muito tempo – nunca compartilhei com você como é a viagem para a Coreia do Sul. Agora chegou a hora de reunir algumas informações úteis, dar umas dicas e mostrar um vídeo que eu fiz da última viagem. Ele ficou um pouco longo – eu mostro tudo, até os aeroportos – mas vale o play se você estiver inseguro sobre uma viagem pra cá.

Companhias aéreas

Existem inúmeras companhias que fazem o trecho Brasil – Coreia, mas eu tenho experiência com poucas: KLM, Etihad, Tam, Korean Air e Asiana. De todas, as minhas favoritas são Korean Air e Asiana, sem sombra de dúvidas. Só que, infelizmente, eles não fazem mais voos para o Brasil. Isso quer dizer que para voar com elas é preciso ir até metade do caminho e depois pegar um voo da Tam, por exemplo. E Tam é um sofrimento para voos mais longos do que umas 5 horas.

Essa última viagem que fiz e que estou mostrando no vídeo abaixo foi feita de Tam (Guarulhos / Frankfurt) e Asiana (Frankfurt / Incheon). Durou 27 horas – sendo que a conexão foi de 4 horas e pouco. Na ida para o Brasil eu fiz a metade do caminho com a Korean Air e ela é incrível.

Minha mãe já fez uma viagem para a Coreia de Turkish e disse que a experiência foi incrível – foi o primeiro voo internacional dela e não teve traumas hahaha. Estou louca para voar com eles.

Conexão

A conexão em Frankfurt é okay. O aeroporto é enorme, moderno e cheio de lojas e lugares para comer. O problema é que ele é enorme mesmo e você precisa andar MUITO para chegar nos portões. A segurança é bem intensa, mas acredito que na Europa isso seja um padrão.

Uma dica: leve na sua bagagem de mão os seus eletrônicos de um jeito bem fácil para retirá-los. Também insira toda a sua maquiagem líquida em um saquinho ziplock transparente, dentro da sua necessaire. Pode ser que você precise tirar a sua maquiagem para colocar na bandeja. Na ida, eu precisei fazer isso – e como não tinha um saquinho, o segurança me fez esvaziar a necessaire toda em uma bandeja, o que acabou me levando a guardar tudo com pressa e esquecer minha caixinha do óculos e minhas lentes de contato por lá. :(

Nos voos

O voo da Tam foi noturno – o que acabou sendo bom, pois eu dormi no voo todo, mesmo que desconfortável. Eles seviram jantar e café da manhã: uma opção de arroz com carne e uma de macarrão com queijo, no café um croissant de queijo e presunto com bolacha e frutas.

O voo da Asiana também foi noturno. Eu fiquei vendo séries que eu baixei no Netflix no celular – recomendo. De refeição, seviram uma opção de Bibimbap (comida coreana) ou carne. Eu só não me lembro qual foi a refeição antes de pousarmos.

Durante o voo eles dão 2 papeis que devem ser preenchidos para entregar na sua chegada. Eles são o Arrival Card e o Customs Declaration.

Imigração

O Arrival Card deve ser preenchido em inglês mesmo e entregue na imigração, na hora que der entrada no país com seu passaporte. Você também vai tirar uma foto e deixar suas digitais no guichê da imigração, mas fica relax: o funcionário mal fala com você, todo o processo é feito por uma máquina que “fala português” e te dá as instruções.

Quando sair da imigração, você encontra um painel que diz em qual esteira estará sua bagagem – para saber, tenha o número do seu voo em mãos.

Customs

Eu nunca fui parada para declarar nada da minha bagagem dentre as minhas várias entradas na Coreia. Depois de retirar sua bagagem da esteira, você vai seguir a placa de Exit e logo antes de seguir para a porta de saída existe um guarda que vai solicitar o seu Customs Declaration. Seja sempre sincero nesse papel e se tiver itens para declarar, preencha.

Eu costumo marcar todas as opções como NO porque o documento pergunta se estou trazendo: 1. compras que excedam o limite da alfândega; 2. produtos que precisem de tarifas especiais; 3. dinheiro em espécie que exceda o valor de 10.000 dólares; 4.itens proibidos como drogas e armas; 5. animais ou vegetais do país de origem; 6. itens para venda.

Incheon

Ao sair do aeroporto, você pode pegar o metrô ou o trem rápido KTX – para isso, suba para o segundo andar do aeroporto e siga as placas que dizem KTX. Você pode comprar um bilhete (um cartão de metrô) nas máquinas antes da catraca. Para o KTX, dirija-se ao balcão para reservar seu ticket.

Para pegar o ônibus (airport limousine bus) ou táxi, basta sair no mesmo andar do seu desembarque. Os ônibus possuem filas separadas pela região para onde você precisa ir. Você compra as passagens em guichÊs que estão ali e entrega para o motorista do ônibus mesmo. Os táxis ficam próximos aos ônibus e sempre tem um funcionário ali para ajudar com o tipo de táxi e a localização.

Acho que é isso. Não esqueça de compartilhar esse post com algum amigo ou parente que esteja preparando uma viagem para a Coreia pela primeira vez. É uma viagem longa e cansativa, mas gratificante! Um beijo!

Comente

  • Esse post tá tão maravilhoso que, se eu pudesse, tatuava nas costas! Hahahahaha!
    Já salvei numa pastinha de favoritos pra catar as dicas quando tiver planejando uma viagem pra Coreia! <3

  • menina, que post / vídeo mara <3 é sempre muito bom saber com mais detalhes como é a viagem/ chegada em países tão diferentes como o nosso, né? quando eu tava vendo de ir praí (a viagem foi cancelada, infelizmente) eu busquei muita passagem pela Air China tbm que tinha uns valores bons e viagens mais curtas, tudo com escala na Turquia!

    • A AirChina faz a viagem toda? Ou é preciso fazer metade de Tam também? Nunca voei de AirChina, mas nunca vi reclamações. No dia que vier, me avisa que ajudo no que precisar – e vou lá no aeroporto te ver! hahaha Beijas!

  • Como as visões são diferentes né, Loma? Eu fui pra Europa ano passado de Tam. A ida até Londres, fui na saída de emergência, detestei ter espaço demais (e olha que eu tenho 1,80m). A volta, vim de Paris nos bancos normais, eu achei muito muito melhor! Fora que o tratamento deles foi só amor. ♥ Acho que vou dar uma nova chance à saída de emergência na próxima, às vezes era só ansiedade! Beijos.

    • Olha, fui muito bem atendida pelo pessoal da Tam sim. Mas sou acostumada com linhas asiáticas (Korean Air, Asiana, Jeju Air, Jin Air) e dá a sensação de que o tratamento da Tam é até um pouco rude, se comparado ao deles. Acho que é questão de costume mesmo.Eu gosto muito de saída de emergência por causa da liberdade de esticar as pernas e levantar o tempo que quiser, sem precisar incomodar ninguém. O lado ruim é que todo pouso e decolagem precisa guardar as malas e apetrechos no compartimento, pois o chão a sua frente precisa estar livre. Quando voar na saída de emergência, me conta se gostou haha