O grande manual dos erros (e como lidar)

A vida é lotada de desafios mirabolantes mas ninguém tem acesso ao tutorial. Ninguém mesmo, inclusive você! E isso te livra da obrigação de saber todas as respostas, já pensou nisso?

Não saber lidar com situações e escolhas é mais normal do que você pensa e por mais que os livros de autoajuda nos ensinem que arriscar leva ao sucesso, a gente tá cansado de saber que também leva aos erros. E é ai que eu te pergunto: qual o grande problema nisso?

Queria saber quem foi que transformou o erro em algo tão monstruoso. Sei que errar é frustrante mas se você não seguir em frente, não tem chance de acertar. As maiores lições que eu aprendi nesses quase 25 anos foram aquelas em que eu precisei bater com o cara no muro de verdade. E te juro: a cara melhorou, o muro continua ali e eu sei muito bem que devo evitá-lo para que não doa mais. Foi errado? Foi. Mas se eu não batesse com a cara naquele muro, eu poderia enfrentar um muro bem pior depois. Então vamos parar de ver o erro como se o fosse o fim do mundo?

Nunca acreditei por um minuto sequer que as coisas acontecem por acaso. Sou dessas que pensa que tudo ocorre por algum motivo, seja ele qual for. Às vezes a gente não descobre na hora (a gente nunca descubra na hora mesmo) mas o tempo revela as razões e depois você percebe que errar foi preciso. Sim, é preciso errar. Ninguém nasce andando. Muitos tombos nos primeiros meses de vida nos levam às corridas diárias quando crescemos. E ai de quem disser que não erra. Não existe perfeição, mas existe sim uma forma muito boa de lidar com a falha. Arrisco dizer que isso é o mais próximo da perfeição que podemos chegar. E que forma é essa?

Já errei tanto nessa vida que me considero doutora no assunto. Sim, com toda essa audácia mesmo ( e olha só, uma boa parte dos meus erros eu devo à audácia). Mas eu só tô escrevendo esse texto pois notei que as pessoas ao meu redor estão enlouquecendo com seus erros, vivem com uma culpa tremenda e há quem diga que guardar culpa causa câncer. Então eu vim compartilhar o grande segredo para lidar com erros. Pega caneta, papel e anota: tá tudo bem. Sério. Tá tudo bem mesmo! Errou, aconteceu. Então coloca na sua cabeça que tá tudo bem, respira fundo e vai de novo. Porque errar só te faz humano, mas desistir de tentar te faz covarde.

Compartilha se te ajudar!

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Eu nunca sei se comento como K-Chan ou como Aime hahahaha

    O problema de ficar bem é a cobrança externa para que sejamos perfeitos…. a namorada perfeita, a amiga perfeita, a filha perfeita, a estudante perfeita…

    Guarda as coisas dá stress, que dá gastrite, que dá úlcera, que dá câncer SIM! E se esforçar demais pela perfeição também!

    Eu tava bem tensa com uns erros nao perdoados, mágoa guardada e coisasmal terminadas… resultado? Nao dormia, nao comia, nao vivia…

    A gente tem q se libertar e os outros tem que nos deixar libertos desse estigma que o erro é imperdoavel! Tem coisa tensa sim que fazemos ou fazqu com a gente, mas eu acho que a punição de ter que encarar e viver com o resultado das “más” escolhas já é suficiente e jogar o erro na cara dos outros é crueldade demais :( soh q a gente faz isso ainda… Eu faço isso ainda, mas to tentando mudar! :)

    • É tanta cobrança de tudo quanto é lado que a melhor coisa é você mesma não se cobrar. Levanta, sacode a poeira e tenta de novo, porque cobrança enlouquece, né? hahaha obg pelo comentário, K-chan <3

  • Concordo plenamente com vc… o importante é aprender a lição, tomar mais cuidado para que não aconteça new ford focus coisas ruins novamente, mas mesmo se for pra acontecer, saber lidar da melhor forma do que antes. KIsu!

    • Bah, com certeza! É tudo uma questão de aprendizado e de saber lidar com as coisas. A infelicidade reside em não saber lidar ou dar atenção demais a coisas que não merecem, né? Pelo menos eu consegui melhorar um pouco meu cotidiano dessa forma e to conseguindo viver um pouco mais feliz comigo mesma ^^ kisu!!!

  • Eu digo, com toda certeza que aprendi tanto com erros quanto pelos acertos. Acho que todo passo dado é válido, o segundo que passou… já foi! E já serviu consequentemente como experiência para o próximo. E se tanto os erros quanto os acertos não fazem aprender nada… tem que ver isso aí! rs

    Um beijo,
    Re.

  • Às vezes eu ficava mal com meus erros e até vergonha. Ainda mais quando o erro causava a dor ou o aborrecimento de alguém!
    No final das contas eu cheguei a mesma conclusão que você assim: batendo a cara mesmo.
    A última vc sabe! Mudei de emprego sem pensar muito. Errei e estou tentando consertar! Simples assim. Sem stress!
    Adorei o post! Kiss

    • Cih, sou dessas que encuca com os erros. Era, tô exercitando a filosofia do desapego pra tudo que é negativo. E culpa é um atraso de vida, né? :( Fiquei muito orgulhosa da forma com a qual você enfrentou todas as mudanças. Me abraça! <3

  • Sempre me cobrei muito para atender as expectativas de todos, principalmente dos meus pais. O que (mais cedo ou mais tarde) acabou me levando a uma série de complexos e metodologias. Facilitou a vida por um bom tempo, tenho que admitir. Consegui escapar de várias enrascadas, é verdade. Mas em troca, me tornei uma pessoa séria, perfeccionista, metódica e extremamente crítica. Foi quando comecei a morar sozinha (e namorar), há quase três anos, que percebi que poderia me levar menos a sério. Quer dizer, não há script na vida. Não tem como eu saber o que o outro espera de mim, nem tem como o outro saber o que eu espero dele. Diminuí minhas expectativas, aprendi a lidar com os erros sem me cobrar tanto e também parei de exigir tanto de tudo. O que a gente planta, a gente colhe e o resto, é só resto mesmo.

    • Adorei o seu comentário, Letícia! Comigo aconteceu a mesma coisa, só que um tiquinho diferente: meus pais não me cobraram tanto, quem me cobrava era eu mesma. Chorava quando tirava 9,5 na escola, pois não tinha tirado um 10. Essas paranoias… RISOS
      Aprendi bem recentemente que nem tudo está no meu controle e que, isso mesmo, a vida não tem script. Os melhores momentos são aqueles em que a gente não sabe exatamente o que vai acontecer. Né?
      Um beijo!!! Boa sorte para nós!